Por Flávio Lopes de Oliveira LC

Seria eternamente grato se soubesse que alguém morreu no meu lugar. São Maximiliano Kolbe, por exemplo, ofereceu a sua vida no lugar de um companheiro de prisão num campo de concentração. Suponho que este prisioneiro se sentiu endividado e ao mesmo tempo agradecido com o ato heroico do santo.

A questão não é supor: “se alguém morresse no meu lugar”; mas é um fato: “Alguém morreu no meu lugar”. Parece um mito inventado ou até mesmo uma história que contavam quando éramos crianças, ou simplesmente nos acostumamos a escutar isso e já nem sabemos exatamente o que significa.



Sim, Cristo morreu no meu lugar, morreu no seu lugar, pagou o preço dos meus pecados para abrir-nos as portas do céu.

O prisioneiro salvo pelo sacrifício de São Maximiliano Kolbe não é um caso único na história, mas todos nós fomos salvos pelo sangue e pelo amor de Cristo.

Nesta Sexta-feira Santa é um dia para chorar a morte de Cristo. Mas não só isso; é um dia para agradecer pela Sua grande misericórdia.


One Response so far.

  1. Parabéns pelo escrito Flávio, gostei muito do seu breve comentário do que Jesus fez por nós. Abraços da sua irmã Tatiane....

Leave a Reply